11 maio 2009

considerações nº 8

eu faço um poema pra te excitar. *
eu faço um poema pra te acordar.
eu canto por te amar.
eu canto pra te encantar.
eu choro por te lembrar.
eu lembro pra te chamar.
eu te chamo pra te contar:
eu quero te amar.
e eu te amo
pra me fazer
chorar.

{ *tome partido – musica do assinado maria - trecho }

“sr. dumont, com sua licença, a última frase de sua música abre minha poesia, tão piegas. mas quem não é piegas quando fala de amor?

”considerações das considerações: voltei a fumar, porque desisti de você, e alguma coisa precisa me consolar...

3 comentários:

Laura Bourdiel disse...

Olá! Que intensidade neste post.
Não considero piegas, sou uma romantica assumida e orgulhosa.
E apesar de ser fumante, não recomendo o consolo em um cigarro. Não estrague sua saúde por alguém que não te quer. Difícil, mas passa...
¡besitos!

F. Reoli disse...

Nada, nada pode ser considerado piegas no amor, a não ser para aqueles seres imunes ao mesmo... se é que eles existem...
Beijos e obrigado pela visita e por fazer de minhas letras algo bom em você!
Te beijo

Tertuliano disse...

Li esses seus versos e, cá comigo, pensei:

"queria eu tê-los escrito".

Mas mais que isso, acho que como você, gostaria de dizer que queria não tê-los vivido.