11 setembro 2009

poesia curta e grossa

eu ponho pra fuder,
jogo na sua cara
todo meu desejo
esse meu amor
mal educado
desbocado
um pouco safado.
não reclama
porque eu gosto mesmo
é de deitar na sua cama.
me faz feliz
toda essa joça
essa bagunça
na nossa palhoça.

8 comentários:

Ni ... disse...

Amor assim que é bom...
Fogo e paixão, rs

Beijo e mais beijos

Jaya disse...

Não sei se conseguiria encontra felicidade no meio dessa joça. Haha. Mas fato é que tu achou a tua, então tá bom assim.

Um beijo, frô.

Jaya disse...

Minha felicidade é feita de espasmos. Quando tu encontrar a tua, me explica como faz pra ela ficar, além-poesia.

Você poeta MARA, e escreve igual.

Eugosditu, cara.

Beso.

Gabriela M. disse...

eita.
é como disse a Jaya, é felicidade muito 'joçada'.
mas a gente é feliz onde se encontra, né?
e quem disse que as naturezas humanas são todas iguais.

e é mesmo.
você poeta MARA [2]

Coração Alado disse...

adorei seu blog.
gostei muito do seu jeito de falar na cara, assim.

vou te linkar, blz?
beijo!!

Carlos Howes disse...

Muito direto e perspicaz! Porquê às vezes, muitas das melhores coisas não precisam de tantos rodeios.

Eu sei que bato muito nessa tecla, mas teus poemas são muito bons.

Jaya disse...

Sei lá se é porque eu tô escrevendo feito uma desesperada, mas eu entro aqui com fome, sempre.

Aguardo o próximo banquete.

Thiago da Hora Souza disse...

De vez em quanto um amor assim nos faz falta.