07 janeiro 2010

fome de tudo

Sem fastio
Com fome de tudo
Passando por cima de tudo e de todos
A fome universal sempre querendo tudo
E com o tempo inteiro a seu favor
Um pulo nessa imensidão de famintos
Sem leite nem pra pingar no expresso do dia
Não vejo a hora de comer já salivando
O estômago fazendo a festa em alto volume
Daqui da fome dá pra ver o que acontece
A fome tem uma saude de ferro
Forte, forte como quem come
Sem fastio
Com fome de tudo
A única verdade debaixo desse sol
Em carne viva se apresenta
Ninguém quer comer agora
Pro gosto chegar depois
Daqui dá fome dá pra ver
A fome tem uma saude de ferro
Forte, forte como quem come

nação zumbi

Um comentário:

Jaya disse...

Tambores do meu lado de dentro.

Saudades tuas, bêibe.