04 junho 2009

escolhas

eu escolho cantar
esquecer
maldizer você

eu escolho voltar
sair
chegar

eu escolho falar
gritar
sonhar você

eu escolho deixar
parar
acabar

eu escolho olhar
decorar
decifrar você

eu escolho calar
ceder
desaparecer

eu escolho amar
infinitamente
o meu amor que ama você.

{enquanto você não morrer eu não vou para de sorrir}

5 comentários:

GMartinsS disse...

deliciosamente lindo!!!

cada verso...
cada palavra...
cada virgula...
cada ponto...

me encanta como só voce consegue...

amo-te minha musa!!!

Carlos Howes disse...

E esse é realmente um poema para fazer sorrir.

Tertuliano disse...

Esse é um poema para sorrir. Amarelo.

Mas sorrir.

Jaya disse...

Amar o amor que ama. Isso é poesia. Entranha, sabe?

Moça, então eu te desenhei em minhas letras? Vejo rascunhos meus, aqui.

Teu canto é gostoso. Posso ficar mais? Apago a luz quando sair, prometo.

E um beijo, é teu.

bruno dumont. disse...

assim que eu colocar cordas novas no meu violão, isso deixa de estar somente no teu blog...